:: Juventude Ativa ICNV Abolição ::

Pastor Zhang Rongliang é condenado a 7,5 anos de prisão

Picture
CHINA (13º) -A Corte Popular da cidade de Zhongmu sentenciou o pastor chinês de igreja doméstica Zhang Rongliang a sete anos e meio de prisão, no dia 29 de junho. Um cooperador dele disse que o pastor, até o dia 4 de julho, ainda não havia sido notificado do veredicto. 
    Rongliang é um líder chave do movimento de igrejas domésticas China para Cristo, conhecido antigamente como Fangcheng, mas renomeado por Rongliang em outubro de 2004. 
     Ele foi detido pela polícia de Henan, sem acusações, no dia 1 de dezembro de 2004.  Apenas um mês depois ele foi acusado de "obter passaporte através de fraude" e de "travessia ilegal de fronteira". As autoridades chinesas sempre negam passaportes a líderes famosos de igrejas domésticas. 
    Rongliang já foi detido cinco vezes e passou um total de 12 anos na prisão por suas atividades religiosas. Ele também foi o co-autor de uma "Confissão de Fé" da igreja doméstica, escrita em 1999, para pedir clemência a uma ampla opressão do governo a movimentos de "seitas". 
     Depois de sua prisão, as autoridades confiscaram DVDs cristãos e outros materiais da casa de Rongliang, que, supostamente, estaria ligado com cristãos estrangeiros. Ter contato com religiosos estrangeiros pode constituir uma atividade ilegal na China. 
"Evidência Insuficiente" 
     A lei chinesa permite que o réu apele dentro do espaço de 10 dias depois de receber o veredicto. Mas, o advogado de Rongliang, Zheng Laiyou, não se mostra otimista em relação a um apelo. 
     "Está muito claro que o veredicto não foi feito de forma independente pela Corte Popular", ele disse. 
    O veredicto veio após uma série de audiências, a última das quais foi realizada no dia 6 de abril. Por volta do dia 13 de abril, Corte Popular da cidade de Zhongmu reconheceu que "as evidências eram insuficiente e os fatos eram ambíguos", e submeteu o caso à Corte Popular Intermediária da cidade de Zhengzhou, pedindo conselhos legais. 
    Na audiência de 6 de abril, Rongliang discutiu seu direito de ter um passaporte como um cidadão chinês e negou a acusação de "obter passaporte através de fraude" para três de seus colaboradores. 
    A esposa do pastor Rongliang, Chen Hongxian, ficou chocada com o veredicto. Ela não vê seu marido há seis meses. 
    "Quem imaginou que a resposta seria assim tão ruim?", Hongxian disse, acrescentando que ela perdeu a confiança nos tribunais populares e que não apelaria do veredicto. "É um tribunal do Partido Comunista, não um tribunal popular, que toma a decisão real." 
    O Pastor Rongliang sofre de cinco doenças crônicas, incluindo pressão alta e diabetes, as quais foram confirmadas em um diagnóstico hospitalar oficial em 2005. 
    De acordo com a lei chinesa, o pastor Rongliang está qualificado para pedir condicional médica com base em suas condições de saúde. 
    Hongxian pediu a grupos de direitos humanos em todo mundo para prestarem atenção ao caso de seu marido - e pediu para a comunidade cristã internacional continuar a orar por seu marido. 
Mudando de tribunal 
    Depois das audiências em junho e agosto de 2005, o juiz que presidia o caso, Xu Zhijun, disse à família de Rongliang que ele não tinha ressentimento contra Rongliang e que ele iria julgar o caso justamente, de acordo com a lei. Mas, quatro meses depois, em dezembro de 2005, as autoridades transferiram de repente Rongliang para uma prisão na cidade de Zhongmu, distante cerca de 60 quilômetros de Xinmi. 
    Segundo funcionários do governo, simpatizantes da luta de membros da igreja doméstica, o Comitê Político e Legal da cidade de Zhengzhou se irritou com uma decisão iminente da tomada pela Corte Popular de Xinmi. Ela removeu todas as acusações e libertou Rongliang. O comitê de Zhengzhou pediu então para a corte de Zhongmu reexaminar o caso. 
    Mas, as autoridades em Zhongmu se recusaram aceitar Rongliang, temendo que ele viesse a morrer por causa de seus problemas de saúde enquanto estivesse sob a custódia da cidade. Rongliang foi então admitido no hospital público da cidade de Xinmi, no dia 19 de dezembro de 2005, onde ele ficou até 23 de janeiro. Uma testemunha disse ter visto Rongliang algemado e acorrentado à sua cama no hospital. 
    Mais tarde, Rongliang foi transferido ao hospital da cidade de Zhongmu, onde passou fevereiro e março. As autoridades, entretanto, consideraram que ele estava bem o bastante para participar da audiência final em abril. 
   Em 2009, a esposa recebeu uma visita da Portas Abertas e compartilhou sobre o fruto do trabalho do pastor na igreja. Veja abaixo.


26/3/2009 - 06h39
Pastor preso e esposa veem os frutos de seu trabalho
CHINA (13º) - Depois que os colegas de cela do pastor Zhang Rongliang foram soltos da prisão, eles ligaram para a esposa dele, Chen Hongxian, para demonstrar gratidão pela nova vida em Cristo. Na prisão pelos últimos quatro anos, o pastor Zhang continua a testemunhar e falar de Cristo para muitos prisioneiros. Ele realizou uma Santa Ceia na prisão, depois que sua esposa contrabandeou suco de uva para ele. Agora, o casal vê o fruto de seu trabalho. 

Sua esposa disse para os visitantes da Portas Abertas Internacional: “Todos me ligaram depois que saíram da prisão para agradecer por Zhang tê-los conduzido a Cristo. Eles me trouxeram notícias e saudações de Zhang e de outros prisioneiros que se converteram. Eles precisam de nossas orações. Meu marido me disse: “Não se desligue do Corpo de Cristo só porque estou na prisão!”
 

Chen Hongxian está morando sozinha porque as autoridades monitoram sua vida pessoal. Ela costumava ter sua “família” cristã vivendo perto dela, mas desde o ano passado, com o aumento da segurança para os Jogos Olímpicos, seus amigos foram interrogados e investigados pela polícia. Para a segurança deles, Chen se mudou para evitar o problema constante.
 

A Portas Abertas Internacional continua o ministério para encorajar Zhang Rongliang e sua esposa. O pastor, da igreja China for Christ (China para Cristo), foi condenado em 2006 a sete anos e meio de prisão por “cruzar ilegalmente a fronteira e obter um passaporte fraudulento”. Uma vez por mês, Chen Hongxian pode visitar o marido, viajando duas ou três horas para chegar lá. Ela é a única visitante oficial que pode ver Zhang em quatro anos.
 

Ore para que Deus fortaleça o pastor e sua família, e que ele continue a ganhar vidas para Cristo enquanto estiver preso.


Tradução: Texto traduzido pela fonte