:: Juventude Ativa ICNV Abolição ::
                 PAQUISTÃO (14º em nível de perseguição no mundo)   

   Arshed Masih, 38, ainda luta por sua vida no hospital Família Sagrada em Rawalpindi, próxima à capital do Paquistão. Com a ajuda da polícia, extremistas muçulmanos o queimaram vivo por não se converter ao islamismo, e abusaram sexualmente de sua esposa. O incidente ocorreu em frente a uma delegacia de polícia.
    Em 2005, Masih e sua esposa começaram a trabalhar com um empresário muçulmano, ele como motorista, ela como empregada de sua esposa. Recentemente, os dois desagradaram o empregador por insistirem em permanecer cristãos.
   Durante o incidente, Martha, a esposa de Masih, “foi violentada pelos agentes da polícia”, fontes afirmam. Os três filhos do casal, de 7 a 12 anos, foram forçados a assistir seus pais sendo brutalizados.
   “Agora, Masih e sua esposa estão sendo tratados no hospital. Ele está em péssimas condições, pois 80% do seu corpo está queimado”. Os funcionários do hospital declaram que, com esse tipo de queimaduras, a vítima provavelmente não sobreviverá.
   No domingo, o governo de Punjab anunciou uma investigação sobre o que aconteceu. “A questão será investigada e os culpados serão presos”, afirma o Ministro da Lei em Punjab, Rana Sanaullah.
   O casal cristão morava com os filhos na região liderada pelo sheikh Mohammad Sultan, em Rawalpindi. Em janeiro, os líderes religiosos e o sheikh ordenaram que Arshed e sua família se convertessem ao islamismo. Quando ele recusou, o ameaçaram, dizendo que ele sofreria “graves consequências”.
   Arshed tentou pedir demissão, mas o empresário disse que o mataria se ele fosse embora.
                                    Tradução: Missão Portas Fonte: Asia News
 
                                                                                                                 ____________________      


 
Essa matéria estava separada para ser publicada inclusive com a imagem dele no hospital! Por respeito a família decidi não publicar a foto. Com muito pesar informo que ele não sobreviveu!

       Uma vida de servo!
Ao ler a matéria no site da Missão Portas Abertas sobre o irmão Arshed Masih, 38, no Paquistão, que foi morto, carbonizado, e sua esposa Martha, que foi violentada pelo fato de não abandonarem a fé em Cristo, meu sentimento foi de muita tristeza e ao mesmo tempo de revolta. Eu tinha esperança de que ele sobrevivesse, mesmo estando com queimaduras em 80% de seu corpo.Comecei a me perguntar: como pessoas criadas à imagem e semelhança do Senhor podem realizar tantos atos de brutalidade dessa forma no século 21???Mas, no mesmo momento, o Espírito Santo falou ao meu coração e mudei meu foco. Essas pessoas precisam de Cristo!!!Antes de condená-las, tenho quer ver essas pessoas com os olhos de Cristo, olhos de graça, olhos de amor e de misericórdia.Será que estou servindo a Deus agindo contra a sua vontade? Querendo que os perseguidores sofram o mesmo que nosso irmão e sua família sofreram? Eles precisam da restauração que só Jesus faz na vida de todos aqueles que O aceitam.Nosso irmão está na glória com o Senhor, mas ele O serviu em vida. Com certeza ele tinha o desafio de honrar a Deus todos os dias com seus atos, e servindo a todos, sendo testemunho.Arshed teve vitória nessa situação, mesmo pensando em algo muito difícil como nesse caso, mas Deus honrou a ele e a sua família, porque ele tinha, dia a dia, a vontade de fazer a vontade do Pai. Não é fácil viver o cristianismo verdadeiro em nenhum lugar do mundo nos dias de hoje, e no Paquistão tem sido ainda mais difícil. Esse cristão teve a força e coragem necessárias para literalmente escolher por Cristo colocando sua própria vida em risco.Jesus disse que o Seu fardo é leve, e que não há tristeza e dificuldade quando estamos ao lado dele, porque Ele caminha conosco.A lição que tirei dessa situação é que devo servir ao Senhor assumindo a vida de serva, sendo fiel ao meu Deus, tendo misericórdia daqueles que me ofendem e procurando ter a vida o mais próximo possível à daquela que Jesus levou aqui.Nosso irmão Arshed está gozando de tudo aquilo que o Pai fez para ele e com certeza Deus vai agir na vida da sua família dando o necessário a cada dia.Então, nosso papel agora é não se revoltar contra essas pessoas. Falo isso de coração. Temos que orar por elas, orar pela esposa Martha que precisa saber que não está sozinha nessa luta e clamar a Deus para salvar seus perseguidores.Nos países perseguidos vemos muitas dificuldades em seguir a Cristo, mas também vemos risos de alegria e corações agradecidos porque mais um dia eles estão ali servindo ao Senhor mesmo em meio a tanta violência e dificuldade. E mais: são pessoas com o coração cheio de perdão!“Pois o próprio Filho do Homem não veio para ser servido, mas para servir e dar a sua vida em resgate por muitos” Marcos 10:45.Fabiana Farias (funcionária dos portas abertas)